Páginas

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Selinhos e até 31/12!

Não poderia encerrar sem agradecer o carinho pelos selinhos ganhos, pedir aquela desculpa básica por ter demorado tanto a postar, mas tempo, tempo, tempo...é o que nos falta em dezembro. E como demorei a postar, não indicarei nenhum blog especificamente, pois já vi que muitos já ganharam! Todos os queridos blogs que por aqui passarem, sintam-se presentados com esses carinhos!

Esse selinho ganhei da Clau e vinha com um questonário enoooorme para responder, mas infelizmente não tenho respondido nem cupom de promoção de natal por total falta de tempo! Clau, fiquei te devendo o questionário, mas adorei receber o carinho!



Este outro ganhei da querida Sarah, mãe do Bento e é o mais super atrasado! O meu superpoder com certeza não é organização e tempestividade, mas produzi meu leite por alguns meses! Ainda posso ser heroína? em? em?


Outro selinho ganhei da Cláudia, do Blog do Henrique, um menino fofinho de recém completados 3 meses! Obrigada! Ah, Claudia não consigo comentar no seu blog, já expliquei os motivos aqui, se você puder mudar as configurações dos seus comentários, poderemos manter mais contato, tá?





Já se inscreveram na promoção de aniversário do blog? Corram lá!

Um bom início de ano a todos! Nos encontramos em 2011! Até lá!

Nine e Ísis

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Final de ano! Bom Natal e...promoção de aniversário! Editado!



Desde que a mamãe escreveu esse texto aqui , muitas coisas já mudaram, filha. Inclusive o seu cabelo! Ainda me admiro do quanto você mudou em um ano!

Este ano foi um ano tão bom quanto difícil para a nossa família e eu confesso que aguardo ansiosa o fim dele. Tantas coisas aconteceram, tantas mudanças apareceram, que eu fiquei com aquela sensação de que vivi 2 anos em 1!

Mas a hora de atravessar o portal rumo ao ano de 2011 está chegando e a mamãe espera poder recarregar as baterias nas próximas duas semanas, inclusive matar as saudades constantes que eu sinto de nós duas desde que voltei a trabalhar em tempo integral.

Lembra da história que te contei sobre o papai Noel, e o Menino Jesus ano passado? Essa história continua a mesma, filha. Decidimos aqui não falar nada muito além disso não. Só tem uma diferença: esse ano enfeitamos a casa por você, meu amor. E você amou as "boinhas", a "uz" no formato de "esteias", os "cagacus" (presentes de brincadeira comprados no R$ 1,99 e que você chama de quadrados).

A arrumação demorou 3 semanas, filha! Foi bem cansativo enfeitar tudo com você, pois os seus dedinhos estavam sempre a postos para ajudar a mamãe e o papai. Mas terminamos, ficou lindo e você participou de tudo!

E este último ano também foi muito legal porque a mamãe conheceu muitas amigas virtuais desde que começou este blog com esses textos aqui e aqui, e como nesta época do ano presenteamos as pessoas queridas, a mamãe vai sortear dois presentinhos entre os nossos amigos e visitantes.

Para o primeiro sorteado uma Naninha, da Camomila a sua escolha e conforme disponibilidade no momento da compra:


Para o segundo sorteado bonecas de papel da Desenho Bom, Alice no País das Maravilhas ou Chapeuzinho Vermelho:



Os dois presentes serão acompanhados de um delicioso pote de doce de leite Lapataia! Nham, nham, como você diria, Ísis!

Como essas duas últimas semanas do ano são corridas, quase ninguém tem tempo para nada, estenderei, a pedido, o prazo para participação na promoção! Assim, quem só retorna à ativa em 2011 pode ler a mensagem e brincar também!

Para que os nossos amigos possam participar do sorteio, basta seguirem essas regras:

1 - Ser seguidor do blog
2 - Deixar um comentário neste post com o famoso "eu quero" e email para contato até às 23:59h do dia 07/01/2011.  

O resultado do sorteio será divulgado no dia 10/01/2011, data em que esse nosso blog completa o primeiro ano de vida (não, a data de aniversário do blog é dia 31/12, que seria o sorteio original, mas agora mudei para 10/01)!

A todos os queridos amigos desejamos um ótimo Natal!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Amigo secreto!

Esta semana chegou o presentinho que você ganhou da sua amiguinha secreta! Quem te tirou foi uma menina muito fofa, que ultimamente anda impunsionada pelo irmão caçula: a Alice, filha da Mari.

E teve uma curiosidade nessa história toda! A Alice explicou que a mamãe dela esqueceu de colocar o blog, para identificar quem tinha tirado você, mas quando chegou o presente, este veio com uma cartinha dela, falando da paixão da mamãe Mari pelo Chico Buarque, e essa paixão, filha, já é conhecida em toda blogosfera! Assim, nem precisamos mandar um bilhetinho para a Alice, pois ficou fácil sabermos quem ela era!

E o presente foi sob medida para você: um livro muito colorido que conta a história de uma menina chamada Chapeuzinho Amarelo! E nessa história tem um lobo bobo e um bolo lobo! Ah, e você ainda ganhou um CD muito legal para curtir e dançar com a mamãe! De tudo que você ganhou o que você mais gostou foi o pacote de presente (liga não Alice, é que a Ísis ainda é pequena e o pacote era de um vermelho brilhante e barulhento, que não teve como ela não gostar de amassar e picotar todo ele) e a capa do CD que se abre como um livrinho. Esse último você examinou cuidadosamente!




Obrigada Alice, pelo carinho! E obrigada Mari por escrever uma cartinha tão carinhosa para a Ísis!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Não achamos o nosso amigo secreto!


Filha, você está participando de uma brincadeira muito legal, que é a do amigo secreto! Funciona assim (pelo menos no meu tempo!): escrevemos os nomes de quem quer brincar num papel e depois cada um sorteia um nome, que será o seu amigo secreto! Ninguém pode contar quem tirou para não perder a graça da brincadeira!

Acontece que estamos na era digital e como representante deste tempo, você não só já tem amigos virtuais, como também participa de amigo secreto virtual! Mas aconteceu uma coisa chatinha, o seu amigo secreto (quem você tirou) não nos mandou o endereço dele para que possamos enviar o presentinho! E a mamãe já mandou três recadinhos para ele! Agora vamos ter que entrar em contato diretamente com a mamãe do seu amigo para que ela nos mande o endereço. Vai estragar a surpresa, mas pelo menos não vamos quebrar a brincadeira!

No tempo da mamãe e nas brincadeiras reais também acontecem coisas desse tipo. O mais comum é pegarmos o bilhetinho com nosso próprio nome, e neste caso temos que misturar os papéis e tirar novamente!

E a pessoa que tirou você já nos mandou recadinhos, logo, logo vamos saber quem é!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Novidades da semana e fotinho mais recente para Tia Mari!


É incrível como vocês bebês de pouco mais de um ano de vida do lado de cá da barriga aprendem com tanta facilidade! Vocês são serzinhos-papagaios! Olham, apreendem e saem repetindo tudo que a gente faz ou fala!

Você tem grande paixão por formas: bola, quadrado, estrela, coração, árvore. Tanto que sua segunda palavra, e a primeira totalmente compreensível, sem significado duplo, foi bola. Agora você aprendeu a falar e identificar a estrela, que você diz "esteia". E com o coração, você além de falar "sião", ainda bate com a mãozinha no peito fazendo "tum-tum". Essa você aprendeu com sua babá (a primeira e única assim espero), que merece um relato a parte. E seus olhos são de lince para encontrar essas formas, pois muitas vezes quando estamos passeando você desanda a gritar esteia, ou sião batendo com a mão no peito, e é só a mamãe olhar com mais atenção que logo percebe uma estrela em anúncio político ou um freezer da Kibon!

Você tem dormido muito bem nesta última semana! Já na semana anterior você emplacou 4 noites (iupiii) inteirinhas sem precisar de atenção e nesta semana foram também mais 4 noites, e todas elas com a mamãe (iupiii duplo!) já que o papai estava viajando. Porque você andava sacaneando a mamãe, né? Dormia a noite toda nas noites que eram responsabilidade do seu papi e nas minhas acordava várias vezes...

Uma das nossas brincadeiras preferidas ainda é jogar bola! Agora você chuta ("siuta") e grita gooooool! Linda demais! E temos mais duas brincadeirinhas: esconder atrás do pilar da lareira enquanto a outra procura (você sempre dá gargalhada quando me acha) e brincar de "corre-corre que eu vou te pegar" e você sai correndo e gritando "cói, cói".

Temos aproveitado as praias daqui, já que ao que parece o verão de 18 a 25 graus de SVP finalmente chegou! E você fica horas brincando na areia! Na praia da Barra do Chuí, nem liga para a água, mas na do Hermenegildo, não aguentou nem 30 minutos sem correr em direção a ela!

Lembra quando te contei da timantinha? Pois não é que você começou a chamá-la de "manca" e agora já fala certinho "a manta"? Nada de diminutivos com ela! Ela é a sua "manta" e anda grudada em você durante todo o dia!

Você tem ficado vaidosa, filha! Adora passar cremes e agora descobriu a minha pobrinha caixa de bijuterias...fica horas olhando os colares e pulseiras que a mamãe nunca usa e se enche deles, mas já elegeu um preferido: um colar prateado de bolinhas! Coloca no pescoço e sai desfilando com ele pela casa!

E ainda tem palavrinhas novas: cuco (suco), cocoicó (cocoricó), quesi (queijo), bobom (bumbum), pinha (roupinha), bainho (bainho mesmo, de banho, rsrsrs).

E tivemos um cena de ciúmes séria essa semana com o bebê de uma amiga. Mas essa eu conto depois!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Explicações bloguísticas...

Esta semana li um texto da Mari e outro da Carol que me fizeram pensar e repensar que essa "vida virtual" é realmente muito legal, mas não é uma brincadeira, toma um tempo muito grande do nosso dia, tempo esse que deixamos de aproveitar no "mundo real".

Além disso, como não conversamos face a face com ninguém, apenas nos conhecemos através de nossos escritos e uma ou outra foto postada, muitas vezes podemos não ser interpretadas da melhor forma. Eu mesma muitas vezes imaginei pessoas de determinada maneira e quando pude conferir uma foto ou um vídeo percebi que eram muito diferentes do que eu havia imaginado anteriormente. Se isso acontece com a imagem, imagina o que provavelmente acontece com a personalidade...

Pensando nisso tudo e tomando como exemplo o texto da Carol, que me explicou muitas coisas sobre ela,  eu também resolvi explicar como me relaciono na blogosfera para, se possível, esclarecer qualquer mal entendido:

- Eu leio TODOS os comentários. Lê-los é um dos melhores momentos de interação nesse mundo paralelo. Os comentários somente são publicados após a minha aprovação. Se você comentou e ainda não aparece na lista de comentários, não se preocupe, provavelmente eu ainda não li.

- Nunca aconteceu de eu ter que deletar algum comentário, todos sempre foram extremamente educados, mas se algo fugir a essa regra, não publicarei. Esse blog é para minha filha e isso já explica tudo.

- Se você tem blog e me visitou algum dia, deixando ou não algum comentário, eu com certeza já te visitei também e tentei entrar em contato para agradecer a visita e incluir o seu blog à lista daqueles que eu sigo. Se você não recebeu um contato meu pode ter ocorrido duas coisas: eu não consegui comentar (explico depois) e você não tem um email cadastrado no seu perfil.

- Sobre a minha dificuldade em DEIXAR COMENTÁRIOS EM ALGUNS BLOGS acontece o seguinte: eu me mudei para Sta. Vitória do Palmar/RS, uma cidadezinha muito hospitaleira, mas que ainda está engatinhando em termos de internet. Aqui ela é lenta demais, então não acesso da minha casa, pois perco a paciência. Além disso, como trabalho a semana toda, no final de semana gosto de estar com tempo livre para a família e os amigos "reais". Por tudo isso eu acesso do meu trabalho (nos momentos de folga, tá chefe!) que tem uma internet muito melhor que a de casa, porém tem alguma trava de segurança que não permite que aquele quadrinho para comentários LOGO ABAIXO DA POSTAGEM se abra. Eu só consigo comentar em blogs que possuem seus comentários configurados para JANELA POP UP (aquela pequenininha que se abre quando queremos comentar) ou PÁGINA INTEIRA (como o meu). Então, se você já me visitou alguma vez, ou mais de uma, deixou comentários e não viu nenhum meu, não fique chateado comigo não...eu provavelmente te visito sempre (dá uma olhada na minha lista de blogs, se o seu está lá é porque te visito regularmente!), mas a configuração dos seus comentários não me permite comentar.

- Eu SEMPRE visito quem me visita, mesmo que essa pessoa não tenha deixado comentário algum. Tenho um programinha bem simplório mas que me avisa sobre os blogs que me visitam diariamente. Então a minha rotina é ler o comentário, respondê-lo logo abaixo e em seguida visitar a pessoa que comentou. Se houve publicação de um novo texto eu leio e comento sempre (quando consigo).

- Eu sempre visito os blogs que eu sigo, posso levar uma semana ou mais para conseguir visitar todos, mas sempre visito e quando chego lá procuro ler os últimos textos que eu perdi e, se possível, comentar em todos eles. Se não consigo comentar em todos, pelo menos em um eu deixo um comentário, normalmente no que eu mais gostei.

Espero ter esclarecido algumas dúvidas!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Blogagem coletiva - bater em criança é covardia!


Filha, a mamãe recebeu um convite da amiga Ingrid (obrigada pelo email, Ingrid!) para falar um pouco sobre a violência contra as crianças e como esse é um assunto recorrente desde antes de você nascer, achei importante te explicar a evolução do pensamento da mamãe até os dias de hoje.

Eu me lembro que antes de ter filhos eu acreditava que "esquentar o rabinho" do filho, como eu e o seu pai gostamos de dizer, não seria problema em determinadas ocasiões, ocasiões estas que nós acreditávamos que o filho "mereceria" tal castigo devido a um comportamente impróprio. Qual seria ele? Nós nunca chegamos a um acordo quanto a isso. Como quase toda teoria pré-filho, essa também caiu.

Depois que você nasceu eu me vi totalmente impossibilitada de imaginar qualquer violência cometida por mim, pelo seu pai, ou por qualquer outra pessoa contra você. Violência esta que poderia ser tanto física quanto verbal. Eu cuido muito o que digo perto de você, filha, pois os adultos sempre estão muito enganados quando pensam que as crianças não compreendem o que é dito sobre elas e perto delas. Muito enganados.

E isso adveio das minhas próprias experiências como filha. Porque a mamãe apanhou, filha, e tanto por motivos considerados "válidos", quanto por motivos até hoje não compreendidos. E eu te digo, Ísis, que a mamãe não se tornou melhor ou pior pessoa devido às surras que levou quando pequena, e até mesmo depois de grande, mas te digo que, com certeza, cada violência recebida ficou marcada na memória como algo que eu não gostaria de repetir com você. E a mamãe também ouviu coisas nada legais ditas por pessoas queridas, e as palavras ditas não podem deixar de existir e os maus sentimentos provocados por elas ficam sempre guardadinhos em algum lugar, esperando oportunidade para virem à tona, e quando isso acontece sempre dói.
Os "antigos", minha pequena, agiam em conformidade com suas crenças, com seus costumes, com seus entendimentos sobre os bebês e as crianças, e eu te digo que eles não entendiam muita coisa e repetiam com os filhos o mesmo tratamento que haviam recebido dos pais. E assim sucessivamente até os dias de hoje, sendo que as crianças que não gostavam de apanhar viravam os adultos que batiam.

O meu pensamento é muito simples: eu não gostaria de levar uma boa surra em nenhuma ocasião da minha vida, então por quê eu iria fazer isso com você? Eu não acredito que uma surra possa servir para educar ou para obter respeito de um filho, assim como eu também não acredito que maridos batam em esposas pelo muito amor que lhes devotem. Bem simples assim.

Não posso deixar de te contar que em algumas ocasiões, quando a mamãe está mais fragilizada, cansada e você está com toda a energia que o seu primeiro ano de vida te dá, não tenha me dado uma vontade de esquentar o seu rabinho, principalmente quando eu tenho que te colocar sobre as fraldas 10, 20 vezes seguidas, mas eu nunca fiz e nunca farei isso com você filha, porque o simples fato de eu te agredir fará cair por terra tudo aquilo que eu sempre desejei ser como mãe. Então eu respiro fundo e me lembro que você é apenas um bebezico reaprendendo sobre a vida do lado de cá e que é minha responsabilidade te ajudar a lembrar do que você já sabe e te ensinar uma ou outra coisinha aprendida. Não é fácil, filha, não é não.

Quando alguém bate é porque não controla a si mesmo, faz uso de uma ação infantil sobre alguém que está indefeso. Quando alguém bate como alternativa de educação apenas mostra o quão despreparado e perdido está e que pouco ou nada sabe sobre a tarefa de educar. E o que muitas vezes nós pais não percebemos é que vamos ajudando nossos filhos a construir comportamentos impróprios através de palavras, de atos inadequados, de exemplos falhos.

Ao bater em uma criança descontamos sobre ela as nossas frustrações, a nossa incapacidade de lidar com determinadas situações.

Eu tenho um sério compromisso assumido comigo mesma, filha. Eu quero quebrar a corrente dos maus comportamentos adquiridos. Não vou bater nos meus filhos porque apanhei dos meus pais. Isso nunca me ajudou, ao contrário. Não vou fazer isso com você filha, pelo muito que te amo, que te quero bem e pelo pouco que aprendi sobre a árdua tarefa de ser mãe.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Cotidiano

conceitualmente.blogspot.com

Todo dia você faz tudo quase sempre igual. Choraminga no berço às 07:00h da manhã, me sorri um sorriso pontual, pega a timantinha, estende os bracinhos e voltamos rapidinho para a cama da mamãe, pois o papai já saiu para o trabalho.

Quando você acorda, senta na cama, pega a timantinha e coloca no meu rosto dizendo "nhanhá", enquanto me dá tapinhas no rosto até eu abrir os olhos. Quando eu abro você diz entre sorrisos e bicota "ia" (bom dia), me dá um beijo e diz "cocóia" (gostosa). Depois pede o téti (mamadeira de leite). A mamãe faz e nós vamos nos sentar no sofá da sala até você terminar de tomar. Em seguida você pede o "pãum" (pão) ou o "bolho" (bolo) e a mamãe senta com você para tomar café.

Depois do café eu troco suas fraldas, te arrumo e nós duas vamos arrumar a casa. Enquanto a mamãe organiza a bagunça nossa de todos os dias você me acompanha e sempre me ajuda enquanto colocamos nosso papo em dia. Ah, a mamãe permanece desarrumada e desorganizada até a hora em que você dorme depois do almoço. Hábito de ficar de pijamas pela casa, filha...

Quando vou estender roupas você tem que ter o seu próprio baldinho com peças e prendedores e fica lá mexendo, remexendo, estendendo e tagarelando e a mamãe sempre se arrepende de não ter levado o celular para filmar os papos que nós duas temos enquanto estamos na lavanderia!

Se o tempo está bom saímos para passear no quarteirão, caso contrário ficamos bem juntinhas assistindo nossos desenhos preferidos no sofá ou brincando na sala, enquanto você toma o seu suco.

A hora de preparar o almoço é sempre uma batalha, pois você quer ficar no colo da mamãe. Muitas vezes você se distrai com as panelas e pacotes de comida e espalha tudo pelo chão me dando um tempinho para agilizar a nossa comida no fogão, em outras tenho que fazer tudo com você no colo. Entre um estresse e outro você me beija repetidamente e me chama de "cocóia", com um sorriso maroto, ou de "dinda" (linda). Não há irritação que resista a esses momentos. E você malandramente já sabe disso.

Nós duas almoçamos juntinhas e você se esforça para comer sozinha. Acerta na maioria das vezes, mas em outras tantas a comida da colher vai parar no chão. Depois do almoço comemos uma fruta, que normalmente nessa época do ano é bergamota, e em seguida você pega a sua timantinha, a "bi" (bicota) e senta no meu colo para dormir poucos minutos depois.

E enquanto você dorme na cama da mamãe, eu corro a me arrumar para o trabalho e espero o seu pai chegar para trocar meu "turno" com ele. As próximas 7 horas do dia serão só suas e do papi.

Quando eu chego você já está de banho tomado e já jantou. Ao me ver na porta grita "mami" e eu me jogo no sofá com você onde ficamos entre beijinhos, cosquinhas e tentativas suas de me morder... O papi e a mamãe preparam a mesa para a janta e nós dois jantamos enquanto você fica "petiscando" conosco. O que mais ouvimos é o "atê", que deve ser "eu quero aquilo ali". E enquanto você fala, aponta o dedo. Se erramos você nega com a cabeça e repete "atê" até acertarmos o que você quer. Por mais que sempre digamos os nomes das coisas para você, sempre ouvimos "atê, atê, atê" dito assim repetidamente!

Mais alguns momentos de preguiça no sofá, lemos livrinhos, vemos desenho para em seguida irmos dormir. Você ainda dorme no colo da mamãe depois de tomar o seu téti da noite, mas logo logo vamos ter que mudar isso, pois com seus 18 meses já quase não fica confortável no meu colo. Nesses minutinhos antes de você dormir eu fico ali te embalando, sentindo o seu cheirinho e pedindo para o seu anjinho te guardar mais essa noite.

sábado, 13 de novembro de 2010

Blá, blá, blá



E a lista de palavrinhas só aumenta! E agora você já junta até duas palavrinhas com sentido! Teve o "cocóia mamãe" uma noite dessas, que eu amei ouvir, mas a frase mais corriqueira hoje em dia é "não mãe", dito assim, com apenas "mãe" no final. Onde está o mami, o mamãe? Agora sou apenas "mãe".

E óbvio que sendo bisneta, neta e filha de quem és a primeira frase tinha que ser uma frase imperativa negativa!

Mas ainda tem as palavrinhas soltas, algumas novas, outras apenas evoluções de pronúncia:

Sapato: já foi papá e agora é "papapu" com o "pu" pronunciado da mesma forma que na palavrinha "mópu".
Banana: é "babá", o que pode gerar alguma confusão na sua cabeça, já que a sua babá pode ser confundida com uma banana e vice-versa...
Linda: é "dinda" com o "di" de pronúcia característica dos catarinenses do litoral
Pão: é "pãum"
Coco: coco mesmo e agora é dito quando você nos pega no banheiro ou quando você mesma está enchendo suas fraldas, recentemente XG.
Cocoricó: cocó, com um leve acento no último ó, pode ser confundido com coco.
Banho: "bainho", porque sua mãe tem mania de falar no diminutivo...tsc...tsc...
Nanar: "nhanhá"
Neném: "nhenhém"
Bom dia: "ia"
Tchau: "tai"
Cabeça: "bebeci"
Nariz: "naiz"
Bolo: "bolho"
Bola: já foi "abá", depois "bóia" e agora é "bólha".
Uva: "ua"
Comida: é "papá" seguido de um sonoro "nham, nham"...
Dado: "dadi"
Habils: "abis"

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Cocóia mamãe!


Ontem a mamãe estava sentada na poltrona do seu quarto, com você no colo enroladinha no cobertor e segurando a sua timantinha após ter tomado o leite. Esse é o nosso ritual diário para você dormir desde que você deixou de mamar no peito. E apesar de ser bem cansativo às vezes, é um momento muito gostoso entre nós duas, porque você está lá toda quietinha - o que é raro durante o dia! - aconchegada no meu colo.

Faz umas duas semanas que eu percebi que você deu (mais) uma esticada, e agora já não fica mais tão bem acopladinha no meu colo, o que me faz pensar que logo, logo teremos que criar outro ritual para a hora do soninho, com você no seu berço.

E como ontem você estava super quietinha e já quase dormindo, resolvi te colocar no berço e ficar ali acocorada ao seu lado até perceber que você já estava dormindo. Mas você não dormiu e em determinado momento se virou para o meu lado e ao me ver apontou o dedinho dizendo "mami!" e em seguida encostou sua cabecinha na minha e disse "cocóia mamãe!" (gostosa mamãe) e me deu um beijo!


E eu te peguei novamente no colo e fiquei te ninando até você dormir definitivamente, minha cocóia!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Cortando o cabelo

Faceira cortando o cabelo


Essa já é a segunda vez que cortamos o seu cabelo, em todas as duas foi o seu primo Luis quem o fez!

Nós não conhecíamos o primo Luis antes de nos mudarmos para SVP! Essa foi umas das boas suspresas que encontramos por aqui.

O primo Luis e sua esposa, a Cris, são cabeleireiros de mão cheia e ele leva muito jeito para cortar cabelos de crianças.

Você costuma se comportar super bem durante o corte, não chora e normalmente se distrai com os sapinhos do avental! Fica chamando de "pa-pu", assim, com as sílabas bem pronunciadas.

A parte mais difícil é cortar a franja, porque você, curiosa que é, fica querendo olhar o que o primo está fazendo, virando a cabeça para cima. Nessa hora a agilidade do nosso cabeleireiro é posta à prova! Mas estamos indo bem, até o momento não tivemos orelhas cortadas, sorte essa que outra prima sua, a Lia, não teve quando a sua tia avó Ceninha resolveu cortar o cabelo dela!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O pé


Filha, se tem uma coisa que eu amo de paixão é beijar e cheirar os seus pezinhos gorduchos! E quer saber mesmo? Eu adoro quando tiro as suas meinhas e dou aquela cafungadinha sentindo aquele chulezinho gostoso! Adoro!

Aliás, você adora ficar de pés descalços! É só estar sentada em algum lugar que já fica esfregando um pezinho no outro até arrancar os tênis, para em seguida puxar as meias! Sempre que você tira as meias você diz "aminha" e me olha sapecamente. Fala a mesma coisa quando resolve sair de cima do sofá com os pés descalços, como se dissesse "estou sem as meinhas".

Você chama o pé de "pê" ou "pi", e quando cantamos a música do sapo, na parte do "hum, que chulé" você faz o gesto de sacudir a mãozinha em frente ao nariz e dá risada!

Sua mais nova brincadeira e derrubar suco nos pés! Deve ser para a mamãe não falar mais "pé-chulé" e sim "pé-laranja", "pé-morango", "pé-pêssego"...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

OFF TOPIC Sobre perdas...para Ceila

Eu estive pensando sobre isso nesses dias, em como a minha concepção sobre o aborto mudou ao longo do tempo. E isso foi depois de ler alguns posts seus sobre o que você estava passando.


Quando eu era mais nova achava que não se poderia sofrer tanto por algo que mal chegou a existir. Eu não entendia então do amor que se sente ao ver o resultado positivo no exame. Eu não sabia que em muitas das vezes a gente pressente a chegada do filho muito antes dele estar devidamente instalado em nosso ventre. Eu era nova, imatura, inexperiente.

Depois, mais adulta, eu tive amigas que abortaram ao tentarem engravidar. Mas eu ainda não compreendia o que elas poderiam sentir, porque na minha cabeça era algo assim: não foi dessa vez, vamos tentar de novo! Simples, fácil e totalmente desprovido de sentimento. Eu já não era tão imatura, mas desconhecia o amor que se sente por algo minúsculo que passa a existir dentro da gente. Porque quando a gente sabe que algo está surgindo ali, esse algo toma formas, proporções, criamos histórias, construimos nossos castelos, um sonho, e a perda de um sonho tão bonito dói. Mas eu não sabia.

Foi depois que eu engravidei e tive que fazer repouso devido ao risco de eu perder minha filha que eu comecei a entender o quanto se poderia sofrer ao abortar. Não era apenas uma célula, um feto, um algo que sairia de mim. Seria o meu filho. O filho que já não teria. E isso é dolorido, sim.

Nós mulheres temos que aprender a falar sobre isso, a entender os motivos que levam ao aborto natural, ou não, e aprendermos com tudo, ensinarmos quem passa por situação semelhante.

Esse assunto não deve ser um tabu, nem tão pouco as mulheres e os homens que passam por isso devem ser marginalizados, ou se sentirem incapazes, menores. E nós que estamos próximos de quem passa por uma situação tão delicada como essa temos que saber como agir, temos que dar nosso apoio, nosso abraço, nossa solidariedade. E isso não significa que sentimos pena, mas sim que nos importamos.
Eu só posso te dizer que desejo que você logo se recupere, externalize seus pensamentos, sentimentos, e assim que estiver pronta, tente novamente! Tem um filho esperando por vc!

Beijos!

Nine


quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Evolução das palavrinhas

Filha, é incrível como as suas palavrinhas vão evoluindo, vão aumentando a cada dia e com aquela pronúncia tão fofinha que é a dos bebês!

Lembra quando você falava "cacaqui"? Agora abre um bocão e fala "cacaca", bem pronunciadas todas as sílabas!

E peixe? Já foi pepi, que eu amava, e agora pode ser "pessi" ou "pissi", que eu amo demais ouvir!

E você aprendeu a identificar o som das motos na rua. No começo, você sempre levava um susto quando passava uma e a mamãe repetia vez após outra que era "a moto". Agora sempre que ouve um barulho semelhante ao da moto você diz "a mopu", com o "pu" saindo do fundo da garganta, de um jeito que eu nem consigo repetir, mas é fofo, fofo! E não se assusta mais, ainda que sempre venha para o meu colo ou agarre nas minhas pernas no mesmo momento em que fala "a mopu, a mopu". É que o barulho é irritante, né, Ísis?

Você pega a chave do carro e aponta dizendo "bibi" e eu não sei se você fala isso porque nós dizemos que o carro faz bibi ou se é porque o alarme do carro faz bibi quando é ligado ou desligado. Fica a dúvida.

Já te contei que você está aprendendo a tomar suco no canudinho e no copinho, né? E que eu sentirei falta da maneira como você segura a mamadeira de suco? Pois, é...acho que você anda me entendendo, filha, porque passou a segurar o copo da mesma maneira que você segura a sua mamadeira de suco, com uma mão, de lado e dedinho indicador esticado. Não é a melhor maneira de tomar suco no copo, e logo você vai perceber isso...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Hoje depois que almoçamos seu pai foi tomar banho e eu fiquei com você na sala. Você levantou, arrumou a sua banqueta, pegou o papel e a caneta que estavam do outro lado da mesa, olhou prá mim, falou algo que eu não entendi; e porquê a mamãe não entendeu você puxou a minha mão na direção da mesa onde estavam o papel e a caneta. Você sentou na banqueta e eu fiquei acocorada no chão ao seu lado.

Depois de desenhar um pouco você me entregou a caneta. A mamãe começou a fazer círculos. Você pegou a caneta da minha mão e fez todo um malabarismo para arrumá-la entre o polegar e o indicador, esticando os outros três dedinhos gorduchos. Você desenhou circulos!
...

No dia das crianças você ganhou um xilofone e um tambor com baquetas. Brincou tanto e usou tanto a sua famosa forcinha que as baquetas quebraram ao meio! Então agora você usa os dedinhos para tocar o xilofone. Pelo menos até o seu papi engenheiro consertar as baquetas com a boa cola-tudo.
...

Tem uma música do Cocoricó que começa com "bongo, bon-bon-go". A mamãe sempre canta para você e bate as mãos no ritmo da música. Agora é só a gente cantar essa música que você bate as mãozinhas e as baquetas no tambor, e no ritmo. E ainda fala "bogun, bobogun".
...

Você aprendeu que cavalinho faz "pocotó" depois que ganhou um livrinho sobre os animais da fazenda. Agora é só a gente falar " Ísis, o cavalinho", que você já começa a pular sentadinha e fala, a seu modo, muito engraçadinho, algo parecido com "pocotó, pocotó, pocotó". E quando você folheia o livro e vê os pintinhos faz o gesto da música do pintinho amarelinho, com o indicador na palma da mão. Fofa demais!
...

E agora você acorda super cedinho durante a semana e só quer saber de dormir novamente se deitar na cama da mamãe e do papai. Muito espertamente você não dorme se a gente fica com você no seu quarto, mas basta te colocar na cama que você malandramente agarra a sua timantinha e fecha os olhinhos. E dorme o sono dos justos enquanto a mamãe e o papai levam cabeçadas e pezadas a todo momento.
...

Além de acordar super cedo você também já aprendeu quando a mamãe está se arrumando para trabalhar. Não quer sair do meu colo e fica dizendo "não, não, não" e se agarra a mim, escalando o meu corpo e me segurando com força. É duro sair nessas horas, filha. É duro!
...

E por sua causa uma das músicas preferidas da mamãe atualmente é "Canção para o Tio Franz", do Helio Ziskind, genuinamente cantada pelo meu grupo preferido: Cocoricó!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Visitando o Coisa de Mãe

Hoje a mamãe foi visitar um blog muito querido, o Coisa de Mãe da Glauciana, uma mãe guerreira que abre seu espaço para outras mamães falarem sobre maternidade. O texto que está lá só existe porque você está aqui!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Vocês voltaram!

Filha, mamãe leu isso num blog muito querido, da escritora Silvana Tavano e que descreveu exatamente como eu me senti longe de vocês!

Longe


O tempo de sentir saudade não se conta pelo relógio. É um tempo diferente: fica suspenso no quarto arrumado demais e faz tic-tac no silêncio da casa, lembrando a todo instante que ele não está aqui.

Ainda no aeroporto você estava dormindo na cadeirinha, assim que me ouviu falando com o seu pai acordou e ainda meio sonolenta abriu os bracinhos para que eu te pegasse no colo! Assim que eu te peguei você deitou no meu ombro e ficou me dando tapinhas nas costas, exatamente como a mamãe costuma fazer com você! E eu beijei você, senti seu cheirinho, suas bochechinhas rosadas e quentinhas! E beijamos o papi, num abraço gostoso e beijos coletivos no saguão lotado.

Ah, e eu chorei, filha! Não suportei a ausência de vocês. E o irônico é que quando o seu pai deu a idéia de vocês passarem uma semana fora eu pensei: iupiii, uma semana só para mim! Fiz inúmeros roteiros do que faria em cada dia, mas a realidade foi que eu não tive vontade de fazer nada sem vocês!

A viagem de volta foi muito tranquila, você brincou muito com a mamãe, conversou bastante e riu, riu, riu!

O domingo passamos em casa, grudadinhos, matando as saudades. E nossa, Ísis, como você cresceu nesta semana que passou fora! Aprendeu a falar pizza (pits)!

Segunda a mamãe teve que trabalhar, você acordou super cedo e não queria me desgrudar, na saída para o trabalho você chorou e eu chorei também, no carro. Também sinto sua falta, meu anjo! E nós ainda não conseguimos amenizar as saudades, né?

No dia das crianças a mamãe também teve que trabalhar na parte da tarde, então brincamos um pouquinho de manhã e ficamos juntinhas a noite vendo desenhos no sofá da sala. Pela manhã fomos jogar bola, que antes você falava repetidamente "a bá, a bá, a bá", mas de uma hora para outra, quando eu pedi para você pegar a bola para a mamãe você disse: "a bóia". Quase infartei! Como assim? Cadê "a bá, a bá, a bá"?

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Saudades

Oi, minha gostosa! Mamãe está morrendo de saudades de você!

Ontem liguei para o seu papi e ele me disse que você havia passado o dia meio jururu. Dormiu bastante a tarde, jantou e ficou mais alegre. "O bicho ressucitou!", ele disse. E aí a mamãe fez uma coisa errada: falou com você ao telefone. Seu pai me disse que você foi ficando murchinha, olhou para o telefone, parou de falar e agarrou a sua timantinha.

Desculpa, filha! Eu sei que você também está com saudades da mamãe. E dói, né?

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Semana em Canela/RS

A mamãe tinha que fazer um treinamento importante para o novo trabalho. Ele aconteceu na semana passada em Canela/RS e como o papai está de férias cuidando de você, os dois me acompanharam até lá. Ficamos sete dias. Você aproveitou muito com o papi, passeou no Parque do Caracol, andou pelas ruas arborizadas de Gramado e Canela, quis roubar o chapéu do vovô da Rua Coberta, andou de trenzinho, conversou com as flores multicoloridas dos canteiros, se encantou com as estátuas de coelhinho, cavalinho, ursinho que existem em frente às lojas de chocolates...enfim, foi uma semana muito boa!


Aliás, mocinha, a srta. comeu muito chocolate! Todos os dias você comia um pedacinho e quando ouvia o barulho do pacote sendo aberto já "gritava" lá da cadeirinha "hum, hum" e lambia a boca! Não posso te culpar, filha, a mamãe também adora um chocolatinho!

E você aprendeu a abrir o frigobar da pousada, de onde retirava o iogurte ou a banana que estavam guardados lá. Nos últimos dias começou a pegar as latinhas e se sentar com elas nas mãos fazendo gesto de que estava tomando.

Ah, e você agora toma tudo com canudinho! Tão bonitinha! Mamãe vai providenciar aqueles copos com canudo para você ir deixando a dedeira de suco de lado. Se bem que eu vou querer te ver segurando a sua dedeira de suco daquele jeitinho só seu só mais um pouquinho: com uma das mãos segurando a alça como se fosse um caneco e sugando o bico meio de lado, muito engraçado e fofo demais! Você poderia crescer um pouco mais devagar, filha?

Pena que a mamãe passou os dias todos em curso, só via você e o seu pai rapidinho na hora do almoço e a noite. A mamãe pediu para o papai escrever aqui e contar como tem sido passar esses dias com você, tomara que ele escreva, né?

Durante a viagem compramos um livrinho novo para você: Olho Mágico! Fazenda, da Ed. Caramelo. É um livrinho que mostra os animais da fazenda, suas principais características e tem um cantinho onde aparece o bicho com o tipo de pelagem que ele tem. Você ficou fascinada pelo livrinho! Aprendeu que a ovelha faz "méééé", só que você pronuncia assim "miiiin". Linda, linda!

Esta semana você foi passear com o papai em Criciúma/SC, ver as vovós, os vovôs e titios. Já soube que estás aproveitando bastante! Quem sabe o papai não escreve sobre isso também, em?

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Ísis e o Tempo


Filha, é sabido que as mães sempre se deparam com a triste realidade de que seus filhos crescem rápido demais. Nesse momento sempre pensamos em "nossa, como o tempo passa". Essa é uma frase muito comum, seguida também de "ainda ontem mal se sentava e agora já corre pela calçada!", ou algo do tipo. Sua mãe não é diferente. Eu percebo saltos no tempo quando olho para você.

Semana passada cheguei em casa do trabalho e você estava sentadinha numa banqueta, papel em branco sobre a mesa, giz de cera nos dedinhos gordinhos. Não fiz barulho quando entrei e fiquei te olhando. Você desenhava um pouquinho, levantava os olhos para a televisão, que estava ligada no Discovery Kids, baixava a cabeça e desenhava mais um pouquinho. E não sei por quê essa cena me emocionou. Eu percebi um salto no tempo e foi como se eu te olhasse bem bebezica no meu colo, recém saída do meu ventre e num piscar de olhos você já estivesse ali, sentadinha na banqueta que o papai te deu. Giz de cera em punho. Olhos atentos ao que passava na televisão.

E então, eu comecei a pensar no passar do tempo desde que você nasceu e percebi como realmente o genioso Einstein tinha razão: o Tempo é relativo.

Em muitos momentos eu pensei que ele não passaria nunca, como quando eu vomitava horrores nos primeiros meses da gravidez. E de repente: puf! Passou! Mais um salto! E depois, nas últimas semanas antes de você nascer eu pensei que o calendário tinha esquecido de passar as páginas, os dias não andavam até a data provável para o parto...queria te ver logo! Relógio parado. Ao mesmo tempo, quando me deitava no sofá para ver um filme e me dava conta de que logo, logo você chegaria, eu me assustava, sentia um frio na barriga e pensava que eu gostaria de mais alguns dias, meses, anos para me preparar para ser mãe. Dualidades da vida, filha.

Enquanto você desenhava, por uma fração de segundos, meu olhar cruzou com o do seu pai e nós rimos, um sorriso mudo, para que você não se distraísse. Queríamos contemplar por mais um tempinho a parada do relógio naquele momento mágico, o momento antes do salto que você já havia dado em direção ao futuro. 

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Ísis e o Papi


Ísis, a mamãe voltou a trabalhar esta semana. Ficaremos um tempinho maior separadas, e eu sei que você vai sentir a minha falta, porque eu vou sentir muito a sua.

O bom é que você vai ficar um mês em casa com o papai, e isso é um presente para você. Poucos são os pais que podem ficar em casa com seus filhos, curtindo os bons momentos, aprendendo com os ruins. Seu pai vai fazer isso nos próximos trinta dias e você vai aproveitar bastante.

Isso faz com que a nossa separação seja mais tranquila tanto para a mamãe, por saber que você estará sendo bem cuidada, quando para você, que poderá passar o dia com brincadeiras e passatempos novos com alguém que te ama tanto quanto eu mesma.

Desde que você nasceu seu pai teve pouco tempo para te curtir assim, por tanto tempo. Tenho certeza que vocês dois vão adorar essa experiência e aprender muito com ela.

...

Aproveitando, vou postar um selinho que ganhamos na semana passada da Mari, do blog Mundo do Pedro. Obrigada Mari! A regrinha básica é indicar 9 blogs e falar 10 coisas que amamos muito!



1. Eu amo muito você e o papai. Vocês são um presente para mim, a família que eu sempre desejei.
2. Eu amo muito viajar, já disse isso aqui, mas é verdade. Adoro conhecer lugares, restaurantes, costumes novos. Antes éramos eu e o seu pai e agora somos nós três. A mamãe fica muito feliz de poder te levar para passear com a gente. E espero que um dia você tenha "incorporado" essa alegria em fazer as malas!
3. Eu amo dias ensolarados! O sol me deixa de bom humor, com vontade de fazer coisas boas, de me arrumar, de dizer "bom dia", de começar uma dieta, fazer exercícios, pensar que a vida é maravilhosa, o mundo é lindo, etc...etc...
4. Eu amo o mar. Adoro ouvir o barulho das ondas quebrando, caminhar na areia molhando os pés na água, mergulhar quando vem uma onda, boiar em mares tranquilos.
5. Eu amo fotografias. Gosto tanto de tirá-las quanto de olhá-las. As fotografias me dizem mais que os vídeos, porque adoro ver a figura e relembrar tudo que aconteceu naquele dia, das pessoas que aparecem ali, os lugares visitados.
6. Eu amo chocolate. O chocolate é meu amigo das horas felizes para comemorar e das horas tristes para me consolar. No inverno como chocolate mesmo, o que eu mais gosto é o amargo ou meio amargo e no verão tomo muito sorvete de chocolate!
7. Eu amo sentir o seu cheirinho pela manhã quando você acorda e o do seu pai. Vocês tem um cheirinho muito gostoso de travesseiros e quando eu cafungo no pescoço dos dois, com aquela pele quentinha, dá vontade de ficar com o nariz ali, o tempo todo!
8. Eu amo história. Deve ser por causa da minha natureza meio contemplativa, meio melancólica, meio estudiosa, meio sonhadora.
9. Eu amo sapatos! Acho que deve ser porquê com sapatos não tem muito erro na hora de comprar. Gostou, é o seu número, o preço cabe no orçamento, é só levar e usar!
10. E por último, mas não menos importante, eu amo livros, tanto lê-los, quanto comprá-los. Adoro ingressar numa nova história sempre que começo um livro diferente. É minha terapia. Junto com o chocolate e a cafungada no seu pescoço!

E os 9 blogs indicados:
1. Ana Mochileira
2. Ana do Chá com Bolinhos e do Viajar é tudibom!
3. Simone, do Flor de Sofia
4. Lê Castro, do Dilemas de uma Mãe sem Manual
5. Giovana, do 3 Homens, Um Segredo
6. Pat, do Coisas de Mãe
7. Carol, do Vinho, Viagens, uma Vida Comum e...Dois Bebês
8. Dani, do Dani, Marcão e Nina
9. Mãe do Pitoco, do Mãe de Garoto

Ufaaa, terminei! Muito trabalho isso...

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Timantinha

Filha, você tem uma amiguinha super fofa! É a sua timantinha rosa. Ela é uma mantinha de algodão, a primeira que você usou quando nasceu e que foi um presente da madrinha da mamãe para você.

Desde que você começou a segurar os objetos, mostrou predileção por mantinhas, lençóis, lenços de boca. E como você sempre usava a mantinha de algodão rosa, acabou usando ela como uma amiguinha, na qual você se apóia na hora de dormir e nos momentos difíceis da sua curta vidinha (como depois de tomar remédios ruins, de ter que usar salsep no nariz, cair e se machucar). É com ela que você se apega na hora do soninho e é para ela que você abre um sorrisinho lindo quando a segura.

E tem uma coisa que você faz que eu acho uma fofura! Quando você acorda pela manhã, fica de pé no berço e nos chama. Quando abrimos a porta do quarto você abre aquele sorrisão gostoso, se abaixa e pega a timantinha, para logo em seguida estender os bracinhos para que a gente te tire do berço.

E para dormir, você fica no colinho da mamãe ou do papai, depois de tomar o seu tetê, na nossa poltroninha segurando a timantinha nas mãos, colocando ela bem enroladinha debaixo do pescoço, uma fofura!

Não sei se você vai continuar chamando a sua companheirinha de timantinha, mas nós (eu e seu pai) a chamamos assim por causa dessa mania que os adultos tem de falar palavras erradas com os bebês. Dizem que não pode, mas todo mundo faz!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Palavrinhas

Minha pequena tagarela! Fala, fala, fala! Pena que a mamãe não é versada na sua língua, filha! Queria muito entender as coisas que você diz com tanta expressão, com tons de voz diferenciados, com olhares variados, algumas palavras vem com sorrisinhos, outras vem com franzidas de testa, mas tudo, tudo é maravilhoso de ouvir!

Tartaruga: tatá
Peixe: pepi
Sapo: papu
Papai: papi ou papaai, com o ai bem cantadinho, lindo!
Mamãe: ma-mi, assim separado, ou mamãe, amo ouvir!
Acabou: abou, com as palmas das mãozinhas prá cima, fofaaa!
Esse: era eti mas há pouco virou etchE, com o E final bem pronunciado. Seria a terra gaúcha a te influenciar?
Sapato: papá
Neném: neném
Bebê: bebi, ou bibi, ou bebe com os "es" bem fechados
Bola: ainda é "abá", dito assim juntinho e várias vezes seguidas!
Meias: "amin", tudo junto dito logo depois de tirá-las dos pés e com aquele sorriso maroto tão característico seu
Pé: pê
Cachorro: "o auau"
Água: aua

Quando a gente te pergunta se você quer alguma coisa e você não quer, balança a cabeça em sinal negativo, mas se você quer não faz nada. Ainda não associou o movimeto de SIM!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Promoção gostosa de lambuzar os dedinhos!

Nossa, os blogs estão super cheios de promoção! A mais nova é do fofíssimo Dedinhos Lambuzados, que está sorteando kits para mamães, papais e criançada se divertirem juntos!

Aliás, a Mammy foi uma das primeiríssimas a comentar aqui, e eu tenho muito carinho pelo blog feito por ela! Passem lá para saber mais da promoção e conhecer todas as idéias fantásticas que ela tem!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Selinhos lindos!

Estamos de ressaca pós viagem, minha pequena está fora dos horários e perdida na rotina. Eu estou vivendo meus últimos dias de mamãe full time, pois terça feira recomeço a trabalhar e recomeço toda a ladainha de sentir falta da filhota...ó céus!

Aproveito o momento para publicar dois selinhos que ganhamos, mas que por motivo de desorganização (o primeiro) e de viagem (o segundo) ainda não haviam sido postados!

Selinho que a Ana Mochileira ofereceu a todas as mamães e todos os papais blogueiros viajantes (ou nem tanto):



O segundo selinho ganhei da Clau (aproveitem para conhecer, tem muita coisa legal por lá!), com as regras de falar sobre o blog que ofereceu (feito), falar 9 coisas sobre você e indicar 9 blogs!



A parte dos 9 blogs terei que boicotar, pois estou super atrasada na postagem e já vi que muitas já ganharam! Então todos vocês que estão no blogroll e/ou nos visitam sintam-se presenteados, porque eu visito quem me visita, visito quem não me visita, mas está na minha lista de blogs preferidos (e esses são maioria, rsrsrs) e para mim todos são de qualidade!

Agora 9 particularidades da mamãe e da pequena:

1. Eu gosto de acordar cedo e de dormir mais cedo ainda! A Ísis é como eu, acorda cedo, junto comigo e dorme cedinho também!

2. Eu adoro doces! Dispenso um prato de comida por um pedaço de chocolate, bola de sorvete, torta, etc. Tudo devidamente acompanhado por uma coca zero, claro! Mas não me venha com gelatina, pudim de pó, fruta em calda! A pequena come tudo, tudo, tudo! Mas chocolate ela ama de paixão! Mal coloca um pedaço na boca e já estende a mão pedindo mais!

3. Eu adoro planejar! Muito mais que executar! A pequena não só planeja como executa suas traquinagens muito bem, obrigada!

4. Eu amo viajar! A pequena tb! E depois de viajar, eu amo voltar para casa! A pequena tb!

5. Eu amo ler! Leio várias vezes o mesmo livro. Não consigo dormir sem ler algumas frases e as vezes não consigo dormir porque me empolgo com o livro e quero chegar logo ao fim! Agora estou lendo Drácula de Bram Stocker. A pequena adora livro! Ama folhear os livrinhos dela e agora fica contando as histórias na sua língua alienígena e apontando o dedinho para as figuras. Mordo!

6. Eu amo ver filmes! Vício herdado da minha mãe. E amo rever filmes. Vício herdado do meu padrasto. A Ísis adora O Pequeno Urso, Pingu, Mr. Maker, MBbaby, Cocoricó...e propaganda da polishop...tsc...tsc...ela para tudo o que estiver fazendo quando o locutor começa a falar, ô coisa!

7. Eu amo por do sol! A Ísis já viu alguns comigo, mas creio que ela ainda não se apercebe da beleza do fato, pois está sempre ocupada em andarilhar por aí.

8. Eu amo café! Tomo vários. Mas tem que ser sem açúcar e na caneca, que xícara é muita miséria para mim! Mas adoro xícaras de cafezinho...vai entender...A Ísis também adora! Sempre toma umas colheradas da minha caneca.

9. Sempre começo dietas na segunda feira pela manhã e as abandono na segunda feira na hora do almoço! Deve ser por isso que meu panceps está cada vez mais proeminente! Já a pequena nunca faz dieta e come bem mesmo doente! E suas dobrinhas são uma delícia de apertar!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O pediatra

Semana passada fomos conhecer o pediatra recomendado pra cuidar de você aqui em SVP. A mamãe estava meio receosa, afinal, aqui é uma cidade muito pequena, e você tem aqueles probleminhas básicos de crises respiratórias que me tiravam a tranquilidade em Joinville. Será que o novo médico seria bom para você?

Chegamos às 15:15h, para a consulta agendada às 15:30h. Pedi para ser o primeiro horário para evitar atrasos, já que ficar na sala de espera de consultório com uma menininha serelepe por muito tempo não recomenda boa coisa!

Mas eis que 1 hora depois nós ainda estávamos lá, o pediatra não havia chegado, os pacientes marcados para as 16:00h e 16:30h já estavam esperando e ainda havia o encaixe de um garotinho muito simpático, que te deixou quase quebrar o iôiô dele quando nenhum outro brinquedo te deixava feliz ("pode deixar tia PAUSA: agora sou tia de todo mundo DESPAUSA ela só quer brincar e esse iôiô é velho, não em problema se quebrar!")

Mamãe surtou! Falou com a secretária, disse que não ia mais esperar, etc...etc... Questionou se ele sempre atrasava ou se por um azar logo na sua primeira consulta ele teria tido alguma emergência, mas a resposta foi taxativa: o Dr. Pediatra sempre atrasava cerca de 1 hora as consultas.

Azar o dele, pensei, perdeu uma paciente!

Mas aí, ele chegou, milagrosamente quando já estávamos de saída. A secretária chamou e entramos, sua mãe com um bico mal humorado e você curiosa no novo recinto.

A primeira coisa que me chamou a atenção foi a sala. Nada de médico, computador, mesa com duas cadeiras a frente. Havia 4 cadeiras formando um círculo para bate-papo, uma espécie de caminha, balança, uma mesinha de apoio e cesto cheio de brinquedos.

Logo no início o Dr. Pediatra disse para deixar você brincando no chão com o cesto de brinquedos e me chamou a sentar de frente para ele para "nos conhecermos melhor", sendo que a partir dali ele se tornou o melhor pediatra da melhor cosulta de todos os meus tempos de maternidade!

Ele queria ME conhecer, para conhecer VOCÊ melhor!  Conversamos por quase 1 hora, como dois bons amigos, ele sempre frisando sobre a parceria entre o pediatra e os pais, que ele era o auxiliar, mas que ninguém conhecia o filho melhor do que a mãe! AMEI!

Enquanto isso você fazia a maior algazarra na sala, falava, mexia nas coisas, nos brinquedos e o Dr. Pediatra super tranquilo, sem aquela coisa de "dá um jeito nessa sua filha! ela não é hiperativa, não?"

Entre assuntos de maternidade e cuidados com você ainda conversamos sobre coisas para se fazer aos arredores de SVP, sobre o tempo em que ele era médico de viagens e conheceu vários países, etc. E o cara é daqui mesmo, de SVP! Preciso parar de ter preconceito com algumas coisas de cidade pequena.

E ainda fez piada sobre fornecedores orientais devido ao seu olhinho puxado...é que o seu pai não pode ir né, daí ele não viu de onde você tinha herdado esse olhinho bonito!

Nem preciso te dizer que adoramos o novo pediatra e que a consulta valeu cada minuto na sala de espera! A secretária ainda me deu a dica: ligar antes de ir para saber se ele vai atrasar, para não esperar muito e ainda acrescentou que sempre atrasa pelo menos 1 hora...bom saber...

Ah, e você está "muito bem cuidada", porém "trabalhosa", devido aos remédios diários para as crises respiratórias. Mas devemos continuar com os medicamentos até meados de novembro, quando o tempo deve melhorar por aqui!

terça-feira, 31 de agosto de 2010

O beicinho, os olhinhos de desenho japonês, o sorriso

Tem uma coisa que você faz, filha, que corta o coração da sua mãe! Sabe quando você está puxando a toalha da mesa com toda a louça do café da manhã ainda em cima? A mamãe diz que "nããããoooo, Ísis". Na maioria das vezes você me ignora, continua segurando a ponta da toalha e me olha com um ar de "ãh?, que foi? eu só estou arrumando a mesa!"

Mas há as raras vezes em que você parece entender perfeitamente que o que você queria fazer é errado e então simplesmente acontece! Seus olhinhos baixam e se fixam em algum ponto entre seu joelho de porquinho e os dedinhos do pé, os dois ficam cheinhos de lágrimas saltitantes, no melhor estilo desenho japonês e surge um beicinho clássico, com o lábio inferior por cima do superior com um leve tremelique! Morro, filha! É de doer o coração da mamãe!

Se nada acontece para te tirar desse transe dramático, surge o choro mais sentido que já se ouviu, seguido de suspiros e gritinhos de deixar até o ser mais rude emocionado!

Mas, se a mamãe é rápida e te distrai com qualquer coisa, você deita a cabecinha na mão da mamãe e me olha com seus olhinos de jaboticaba ainda lacrimejantes e um meio sorriso tímido do tipo "mamãe, você não está mais brava comigo, né?" Morro duas vezes!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A pequena em Punta - última parte

Domingo pela manhã, céu nublado. Pena, queria que nós nos despedíssemos do Uruguai com sol.

Após o café da manhã, seguimos para Punta Ballena para visitarmos o Museo-Taller da Casapueblo, onde Carlos Páez Vilaró (artista idealizador e construtor da Casapueblo) cria seus quadros e esculturas, e que não havíamos conseguido conhecer no dia anterior. Chegamos lá por volta das 11:00h. Você estava reclamando muito! Só queria ficar no chão, nada de colo! Chegamos - eu e o seu pai - a pensar que não seria uma boa idéia entrarmos, mas durante  a visita você ficou encantada com todas aquelas esculturas e quadros! Não deu nenhum trabalho! Ou melhor, quase, porque você só queria subir e descer as várias escadarias do local!

Logo na entrada tem um placa pedindo para apertarmos a campainha. Assim fizemos e fomos recebidos por uma moça muito simpática! Pagamos os 120,00 pesos uruguaios (quase 12,00 reais) por pessoa e iniciamos a nossa caminhada pelas galerias.

Na primeira havia muitos quadros retratando a cultura afro-uruguaia e esculturas em madeira. Adorei as esculturas! E você também, claro! Olhava para tudo e dizia "eti, eti". Os quadros dessa galeria retratam a vida cotidiana do povo uruguaio, onde quase todos possuem um barco (ou mais), muitos retratam os bares e as mulheres. E gatos! E as cores são vibrantes, sendo as figuras retratadas circundadas por um grosso traçado escuro. E a mim pareceu que elas estavam dentro de uma garrafa, dada a perspectiva dos desenhos, mais largos no centro e mais estreitos nas extremidades!




A segunda galeria foi a que mais gostamos! Eu e o seu pai devido ao tipo da pintura exposta e você devido ao espaço! Você ficou lá caminhando de um lado a outro e às vezes parava em frente às esculturas. Eu não entendo absolutamente nada de arte e, confesso, nem conhecia o artista antes desta viagem! Então ao ver os quadros dessa galeria eu senti como se alguém de uma tribo indígena dos tempos longínquos os tivesse pintado. Cores mais sóbrias, traçados mais rudes retratando pessoas, animais, sol, lua, mar! E as esculturas era esquisitas, mas as achei divertidas com seus olhos esbugalhados!




Na loja do museu ficamos encantados com algumas peças de cerâmica! E havia as lâminas serigrafadas, bem mais para bolsos comuns, do que as lindas telas, que nem me atrevi a perguntar o preço! Eu fiquei encantada com uma lâmina que retratava símbolos indígenas diversos, mas o preço, - ó - era de 150,00 dólares! Ah, filha, talvez um dia, né? Ficamos com uma lâmina muito bonita que retratava a Casapueblo, mas lá havia camisetas, canecas, pratos, azulejos, esculturas em madeira! Tudo muito bonito!

Seguimos para a sala de cinema, onde assistimos a um video que retratava a biografia do artista, e apesar de ser falada em castelhano, com legendas em inglês, conseguimos entender o principal do conteúdo. E você, minha pequena? Adivinha...só andando entre os bancos!

Passamos pelo bar, que é um charme, e fomos muito bem atendidos. Aqui havia uma esquadria trabalhada de madeira, que era divina!

De lá seguimos para os terraços (são 6), e para a última sala do museu. Nesta última havia um espaço para os trabalhos da filha do artista (Agó Paez Vilaró), que tinham um lado mais místico e mais infantil e eram muito bonitos.



Na saída deixamos nossos cupons para concorrer a uma obra do artista (elas são sorteadas entre os visitantes a cada 6 meses) e encerramos nosso passeio em Punta del Este.

Almoçamos em Piriápolis, uma cidade muito charmosa e próxima de Punta, onde comemos o melhor sorvete de... doce de leite, claro: o "el faro", que é artesanal!



 Tão bom, né minha pequena, conhecer lugares novos! A mamãe adorou a viagem e apesar de termos tido os famosos momentos de estresse, viajaria novamente com você! Vê-la dando seus passinhos na Rambla, se jogando de rabinho no mar gelado e se encantando com as esculturas da Casapueblo, valeram todo o trabalho!

Ah, e você agora é o Bitcho!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A pequena em Punta - parte II

Depois de uma noite de sono, em que você estranhou o berço-chiqueiro do hotel e teve de vir para a nossa cama de madrugada, acordamos no sábado às 09:30h em Punta com um belíssimo dia de sol, céu azul e temperatura super agradável.

A programação do dia seria conhecer a península, visitar o porto, o farol, "la mano", feira de artesanatos, almoçar no shopping e seguirmos para a Casapueblo, em Punta Ballena. E jantar a noite num dos restaurantes próximos do porto, que tinham um visual "taberna" que eu e o seu pai adoramos!

Mamãe é desorganizada e esquecida, filha! Esqueci de carregar o celular, e por isso ficamos sem fotos do passeio da manhã.

Fomos até a "Playa de los Ingleses" visitar um dos cartões postais da cidade: a obra do escultor chileno Mario Irarrazabal "la mano", ou "los dedos", dependendo do ponto de vista! E você, claro, só queria andar, andar, andar! E se te deixássemos sozinha você virava em direção ao mar e seguia em linha (quase) reta até lá, dizendo "aua, aua, aua". Ali você ganhou o carinhoso apelido de Ísis Gump!

E claro que aconteceram diversos mini pitis cada vez que colocávamos você no carrinho! Você se contorcia toda e esticava os bracinhos em direção ao mar ou à areia... Para serenar as coisas, e porque estava bem calor (tinha até algumas uruguaias de biquini à beira mar!) resolvemos descer até a praia e deixar você caminhar um pouco na areia. E você, claro só queria água! Na primeira oportunidade se mandou! Seu pai colocou você perto do mar para você molhar os pezinhos e numa distração dele, bem no momento em que veio a onda, você, danadinha, se jogou naquela água gelada! E adorou! Ficou brava quando te tiramos de lá! Mas com isso tivemos que voltar ao hotel para te trocar, já que as roupas estavam molhadas! Nesse momento a vantagem de estar num hotel bem central se fez presente!

Depois de trocarmos sua roupa resolvemos pegar o carro para ganhar um pouco de tempo e seguimos em direção à parte mais antiga da península, onde tem o farol de Punta, a Igreja Nossa Sra. da Candelária e a Estação Meteorológica. E casas lindas! Além de duas praças maravilhosas onde você andou, "correu" atrás dos "uau-uau" que apareceram por ali, caiu no chão e ralou a bochecha! Tadinha!


Mamãe e Ísis, em frente ao Farol de Punta! Tem uma pequena praça em frente, ideal para os pequenos brincarem!



Dali, seguimos para o porto de Punta, onde você comeu um lanchinho na beira do cais, e curtiu as gaivotas e os lobos marinhos! Um pescador uruguaio ao ver como você olhava curiosa para os lobos, pediu para nós levarmos você mais para baixo e segurou um pedaço de peixe bem alto. O lobo marinho se levantou na água! Parecia treinado! Nós três adoramos! Aliás, os uruguaios foram muito educados conosco e muito atenciosos com você!


Papai e Ísis curtindo os lobos marinhos e as gaivotas se engalfinhando por um pedaço de peixe!

Do porto, rumamos para o Punta shopping a fim de almoçarmos e passarmos no supermercado para comprarmos água, suco, guloseimas e vinho, antes de seguirmos para Punta Ballena. Na lanchonete você acabou dormindo antes de almoçar e quando acordamos você, mal quis comer! No mercado começou a dar um piti apontando para tudo que via e gritando "eti! eti!", que é como você diz "esse", quando quer que a gente te dê alguma coisa! Afe! E depois que saímos do mercado você fez o famoso número dois e para não atrasarmos ainda mais o passeio, pois já passava das 16:00h, nós te trocamos ali mesmo no estacionamento do badaladíssimo Punta Shopping! Ah, e eu disse a famosa frase para o seu pai: "ser mãe é estar em Punta del Este com a roupa suja de meleca de nariz da sua filha, trocar fralda de coco no estacionamento, aguentar piti em supermercado e ainda assim querer continuar o passeio!".

Em Punta Ballena, onde fica a famosa Casapueblo, tivemos de optar entre visitar o museu-ateliê ou ver o por do sol. Ficamos com a segunda opção e seguimos para a encosta munidos de suco, alfajor e vinho para apreciar o por do sol mais lindo que eu já vi! E você, ainda alheia a este espetáculo da natureza, continuava andando de um lado para outro e de vez em quando apontava para o mar e dizia "aua", ou "eti", com o dedo indicador esticado.


Punta Ballena e a Casapueblo

O visual é lindo! Não bastasse a praia ser belíssima, ainda tem a fantástica Casapueblo emoldurada na encosta!


Papai e Isis curtindo o por do sol


E depois do por do sol voltamos ao hotel com o firme propósito de tomarmos um banho e sairmos para jantar, porém, você estava tão cansada que começou a ficar pitizenta e desistimos de sair! Ficamos no hotel, ouvindo um progama de TV uruguaio e novela brasileira dublada (um sarro!), não sem antes ficarmos de mal humor por não podermos sair, termos aquele famoso momento estresse, onde nos olhamos e pensamos: que diabos estamos fazendo aqui com um bebê de 15 meses??? Mas depois tudo serenou, você dormiu toda a noite, sem nem precisar se aconchegar na nossa cama, de tão cansada e eu e o seu pai aprendemos que viagens com você devem ter um ritmo mais lento, privilegiando os passeios diurnos e o descanso noturno, ou serenando na parte da tarde para podermos sair para jantar, bem mais cedo do que o normal, claro!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A pequena em Punta - parte I

Eu sempre tive muito receio de sair com você, filha! Viajar então! Fiquei traumatizada depois da nossa primeira viagem!

Mas aí o tempo foi passando, você foi crescendo e nós já arriscamos umas outras viagens menores, visitamos o papai em Brasília há 2 meses e neste final de semana fomos para Punta del Este, no Uruguai. Foi a primeira vez que você cruzou as fronteiras do nosso país! E em grande estilo, em? Porque o Uruguai é um país que merece ser visitado!

Para sair do país nós precisamos das carteiras de identidade, inclusive a sua, e a carta verde, que é o seguro obrigatório para quem vai entrar no Uruguai de carro. A sua identidade nós já tínhamos feito em Joinville e a carta verde pode ser feita em despachantes ou nas agências bancárias das cidades fronteiriças. Fica pronta em minutos! Mas tem um detalhe: o carro deve estar em nome do motorista, ou deve-se portar uma autorização do proprietário do carro para cruzar a fronteira com seu veículo.

Documentação correta, a passagem pela Aduana uruguaia foi simples. Lá tem um posto de informações turísticas, onde paramos para pegar os mapas das "rutas" de acesso às cidades do litoral.

Chegamos em Punta depois de 2 horas de viagem de carro (SVP-Punta), sendo que eu e o seu pai optamos por seguir diretamente até lá, sem paradas no meio da viagem. Você dormiu todo o trajeto e perdeu a maior parte da paisagem belíssima que circundava a "Ruta 9". A paisagem é semelhante à que nós temos do lado brasileiro, na Reserva do Taim. Muitos tons de verde e azul! Já disse isso, mas volto a repetir: estamos morando numa região que tem o céu mais bonito que a mamãe já viu!

La Ruta 9

Um pouco antes de chegarmos em San Carlos, saímos da "Ruta 9" e entramos, à esquerda, na "Ruta 104", pois queríamos chegar em Punta através da "Playa Brava", onde tem uma ponte muito legal! Ela é toda curva! Dá um friozinho na barriga bem gostoso passar por ela!


Nossa primeira parada em Punta foi na famosa "Rambla Gral. José Gervásio Artigas" que circunda toda a península. Nós paramos na "Playa Mansa", onde está o lindo Porto de Punta del Este e o Iate Clube. Você só queria ficar caminhando de um lado para outro, sem a ajuda dos seus pais, nem quando caía! Está toda independente!


Ísis e papi na "Rambla" de Punta

Ficamos por ali por quase 1 hora - e você caminhando todo esse tempo! - e depois seguimos para o hotel, que ficava a poucos metros dali. Seguimos a dica de um amigo e nos hospedamos no Hotel Tanger, que fica na "Calle 31, entre a 18 e 20", em frente à "Liga de Fomento y Turismo" (http://www.hoteltanger.com/). O hotel se mostrou bem prático, pois fica perto de tudo na península e quase não precisamos de carro para passear! Ah, vale lembrar que na ida passamos num Free Shop do Chuy/Uy e compramos um daqueles carrinhos de bebê que fecham feito guarda chuva e que são ótimos para levar em viagens! Mamãe adorou!

Depois de instalados no hotel - não sem alguma dificuldade, pois não falamos espanhol e tivemos de recorrer a mímicas em diversos momentos - fomos passear pelas belas ruas cheias de lojas lindas e calçadas largas, em perfeito estado, ótimas para o carrinho de bebê! Paramos na "Plaza Gral. Artigas" para visitar a feira de artesanatos local, mas quase todas as "tiendas" já estavam fechadas, então resolvemos voltar no dia seguinte. A feira abre as 10:00h e segue até 18 ou 19 horas na baixa temporada.

Passamos em uma padaria local para comprarmos os doces uruguaios, quase todos recheados com doce de leite, e seguimos para a "Rambla" novamente, para vermos o por do sol. Espetáculo imperdível tanto no Uruguai quanto em SVP! Repito incansavelmente: o mais lindo que já vi! Não é à toa que o Uruguai tem um sol em sua bandeira!

Por do sol no deck da Rambla próximo ao Iate Clube e ao Porto

Depois que o sol se vai ficam as cores! Paisagem belissima!

Depois que o sol se pôs, a temperatura, que até então estava agradável, caiu rapidamente e voltamos ao hotel para descansarmos um pouco antes de sairmos para jantar. Jantamos no restaurante "Caracoles", próximo ao hotel. Ali você deu um pitizinho, queria pegar tudo da mesa e jogar no chão - ô fase! - mas conseguimos jantar uma deliciosa Paella sem maiores percalços!

Como aprendizado do primeiro dia:
- levar comida pronta da Nestlé do Brasil, pois não tem em Punta aquela maior para bebês maiores. Achamos apenas as papinhas da Gerber. E você não gosta desta...
- ter sempre suco de caixinha, água e biscoitinhos à mão, eles podem parar com um piti fora de hora!
- levar a chaleira elétrica para aquecer água da mamadeira no quarto do hotel.
- ter sempre uma touca e um casaco na bolsa pois depois que o sol se põe, a temperatura cai rapidamente.
- conhecer Punta na baixa temporada é ótimo, pois os preços estão bons, os lugares de visitação não estão lotados e é bem mais tranquilo para quem vai com crianças! 

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Novo blog!

Tem novo blog na área, e este não tratará de fraldas, papinhas, birras, etc... (se bem que na 2a. postagem já usei a palavra fraldas, tsc...tsc).

Este blog vai falar da vida da nossa família na fronteira do Brasil com o Uruguai, vai falar de lugares para passear, costumes da fronteira, viagens! Passem lá para dar uma olhada! Depois me digam se gostaram!

http://www.nafronteirasul.blogspot.com/

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

As cacaqui

Ass iguaria do momento são as famosas "cacaqui", como você começou a chamar o que a sua mãe chama de "cacaca", seguido de um "não pode comer, filha!", que costuma ser completamente ignorado.

Do alto dos seus 15 meses você já sabe o que pode ou não fazer, e pegar coisas do chão para colocar na boca, você sabe muito bem que não pode. Mas faz assim mesmo, quando não estou olhando e ao ser surpreendida me olha risonha e já me mostra a iguaria dizendo "cacaqui"! Não sei se te mordo, se rio ou se fico inerte. Ó dúvida cruel!

Mas dia desses nas nossas explorações pela cidade de Santa Vitória, achamos uma espécie de mini calçadão perto de casa, que foi construído sobre um córrego. Achei super legal, a rua era bem traquila (aliás, todas são!) e eu te tirei do carrinho para que caminhasse um pouco. Celular em punho, tirei algumas fotos e depois de uma delas percebi que você estava com algo na boca. "Dá prá mamãe!", eu disse, e você fechou a boca num biquinho...dedos de gancho no canto da bochecha, método infalível para retirar objetos malandramente escondidos nos cantinhos - sim, porque você agora além de não me entregar a "cacaqui", ainda a esconde nos cantos da bochecha! - entro em pânico quando percebo que a cacaca ali escondida era um caco de vidro!

Mortificações mil depois e mais algumas dedadas na sua boca, fico aliviada por você não ter se cortado ou - não gosto nem de pensar - engolido o tal do caco cacaqui!

Você está um perigo! E eu que pensei que a vida em cidade pequena seria tranquila!

Dia desses uma colega me perguntou se eu não estava cansada de ficar em casa "sem fazer nada", se  eu não sentia que o tempo não passava (já que só volto ao trabalho em setembro). Fiquei muda, filha! Sério...a vida com você nunca é uma mesmice e ficar parada não é bem a sua, em??

Só pega leva com as cacaquis...restos do café da manhã até podem ser degustados, mas cacos de vidro, não!


Ísis degustando cacaquis em SVP
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...